Skip to content

Processos Pedagógicos em E-Learning – Reflexão Final

March 18, 2012

O presente post, surge como resultado do último desafio proposto pelo Profº José Mota, docente da Unidade Curicular de Processos Pedagógicos em E-LEarning: Elaborar uma reflexão sobre a experiência de aprendizagem realizada ao longo do semestre.

Não posso iniciar esta breve reflexão sem primeiro revelar que as expectativas que tinha face a esta Unidade Curricular e aos conteúdos a abordar eram elevadas.

Sentia que a nível teórico ia ter com certeza uma oportunidade de aprofundar os parcos conhecimentos que possuía sobre a temática, mas pairava a curiosidade de como adquiriríamos o “know how” prático, necessário a uma adequada aplicação dos conceitos metodológicos em estudo.

Das experiências de aprendizagem anteriormente realizadas na Unidade Curricular ministrada pelo Prof. José Mota (Materiais e Recursos para E-Learning), ficava a certeza de que não ficaríamos apenas pelos conceitos teóricos, e colocaríamos “mãos à obra”.

Iniciámos a Unidade com a análise e discussão do Contrato de Aprendizagem, e uma vez aprovados os conteúdos, metodologias a utilizar, prazos de realização das actividades e avaliação das mesmas, prosseguimos para a primeira temática em destaque : A Pedagogia do E-Learning.

A primeira actividade proposta, 1A, consistia na elaboração e publicação de dois posts no blog, o primeiro relativo à Pedagogia do E-Learning e o segundo ao papel do professor em contexto online.

Através da elaboração do primeiro post e aludindo ao mesmo de forma sumária, podemos referir que: “A análise da evolução dos modelos pedagógicos associados ao ensino a distância e em particular ao e-learning, ajudam-nos a compreender a interligação entre os pressupostos pedagógicos e o desenvolvimento tecnológico. Cientes das potencialidades que representa consideramos que a tecnologia não deverá assumir um carácter determinista mas sim ser o potenciador de novas práticas que conduzam a aprendizagens eficazes e completas. 

A preparação dos professores e tutores para a constante evolução é fundamental, sendo essencial que possuam um espírito de abertura e de adaptação a novas realidades onde não só ensinam como também aprendem. Estes novos desafios reflectem-se também no papel assumido pelo estudante que assume cada vez mais uma posição participativa na construção das suas aprendizagens e do seu percurso formativo, sendo simultaneamente receptor e produtor de conteúdos.”

Decorrente das necessidades específicas deste tipo de ensino, o professor online é uma peça fundamental no processo, sendo que o seu perfil deverá ter também este carácter único apresentando “uma postura de resiliência, capacidade de adaptação, inovação e perseverança transmitindo a confiança necessária.Utilizando os diversos recursos tecnológicos de que dispõe o professor online é também responsável pela construção do processo de ensino-aprendizagem em ambiente virtual.”

Devo confessar que embora sendo uma actividade maioritariamente teórica de análise e reflexão, foi uma experiência enriquecedora e agradável, e os conhecimentos adquiridos revelaram-se fulcrais para a realização da componente mais prática que se seguiu. No decorrer das pesquisas realizadas, um factor parecia ser dominante nas práticas pedagógicas em e-learning: o papel do estudante enquanto promotor da sua própria aprendizagem, e a influência que o seu ambiente pessoal de aprendizagem assume neste processo.

Assim, a Actividade 1 B, exigiu que aprofundássemos essa vertente, através da publicação de uma bibliografia anotada, com referências que considerássemos relevantes. Considero que os artigos escolhidos, contribuíram para alargar o foco da discussão. Relembrando a primeira escolha, Envisioning the Post-LMS Era: The Open Learning Network, “O artigo pretende de uma forma clara propor uma nova abordagem que una as principais vantagens dos LMS’s e dos PLE’s possibilitados pela utilização e agregação de recursos e ferramentas disponíveis na Web.”  De certa forma na mesma linha, comparando os PLE’s com os VLE’s o segundo artigo Personal Learning Environments: Challenging the dominant design of educational systems“Induz-nos à exploração de outros artigos e recursos em torno da temática abordada, especialmente pelos desafios que coloca aos modelos vigentes e pelas possibilidades que revela enquanto suporte de uma aprendizagem mais aberta, informal e a decorrer ao longo da vida.”

A tarefa, de componente “prática” que se seguiu, construção do nosso PLE, foi sem dúvida facilitada pela análise bibliográfica já realizada, pela elaboração da bibliografia anotada, mas também pelas discussões que ocorreram no fórum de discussão da actividade e dos tweets trocados na hashtag #ppel.

Este processo de construção exigiu sem dúvida um forte trabalho reflexivo e de selecção das ferramentas e instrumentos que utilizamos no nosso processo de aprendizagem. Tendo como referência a frequência do MPEL “Decidi representar o meu PLE, focando-me nos ambientes e ferramentas que diariamente utilizo e perfazem o meu ambiente de aprendizagem no contexto em que me encontro, de frequência do Mestrado. A forma escolhida para organizar o meu PLE tem em conta dois ambientes Online e Oflline. Embora o último esteja neste contexto indubitavelmente associado ao primeiro não quis deixar de lhe fazer referência enquanto “backoffice” que suporta as actividades online.” A representação  do PLE não ficaria completa sem a fundamentação das escolhas realizadas e a importância assumida por cada uma das “ferramenta” incluídas, e foi com satisfação que conclui que “é com naturalidade e satisfação que vejo o meu PLE crescer diariamente. A cada uma das categorias representadas vão se juntando muitas outra ferramentas que enriquecem e rentabilizam a minha forma de aprender.”

A introdução da Temática 2, trouxe consigo a reflexão para o outro lado do processo. A atenção estava agora centrada nas práticas pedagógicas online e no papel que o e-formador desempenha neste processo.

A planificação e a realização da entrevista que deu origem à elaboração do artigo foi sem dúvida um processo moroso e nem sempre fácil. Embora a planificação tenha recebido desde logo aprovação positiva por parte do docente da Unidade Curricular, colocá-la em prática obrigou a uma articulação de disponibilidades com o entrevistado que se desejaria ter decorrido de forma mais célere. No entanto, considero que a entrevista, realizada, de  forma semi-estruturada, gravada via Skype atingiu os objectivos propostos no guião e permitiu recolher dados importantes para a elaboração do artigo.

O processo de escrita do artigo, embora tendo como linha orientadora a análise da entrevista realizada, foi complementado com bibliografia relevante, que permitiu um suporte teórico fundamental. O balanço que faço da realização da Actividade é sem dúvida positivo, permitiu compreender como certos conceitos estudados se aplicam realmente no “terreno” e que dificuldades e desafios enfrentam os professores envolvidos nesta modalidade de ensino. Como único ponto negativo, destaco apenas o aparecimento de factores externos que condicionaram a realização da actividade no prazo estipulado. O Guião da entrevista, a entrevista e o artigo final poderão ser consultados na Wiki criada para o efeito.

Toda esta “bagagem”, acumulada ao longo do processo foi factor chave para a temática final, Desenho da Aprendizagem Online, em que fomos convidados a planificar e colocar em prática o desenho de um curso online. A temática escolhida está intimamente relacionada com a minha prática profissional, decorrente da necessidade formativa que sinto no terreno. As sugestões de restruturação propostas pelo Prof. José Mota ao projecto apresentado foram fundamentais para a restruturação e obtenção do resultado final.

Implementado na plataforma Free Moodle, o curso desenhado procura de uma forma realista dar resposta às necessidades formativas do público-alvo, seguindo pressupostos e metodologias adequadas ao correcto funcionamento de um curso em E-Learning. O curso, juntamente com a devida planificação e fundamentação pedagógica pode ser acedido através da Wiki criada para o efeito.

Factor comum a todas as actividades desenvolvidas na Unidade Curricular foi a constante necessidade de dedicação e empenho, dado o número de horas de trabalho que as mesmas exigiam. Nomeadamente a construção do curso, revelou-se um processo bastante moroso, mas julgo que o resultado final se encontra apelativo, indo ao encontro do que seria pretendido. Os contratempos que surgiram ao longo de todo o semestre foram os principais inimigos de um percurso que poderia ter sido ainda mais risonho.

Destaco a dedicação, compreensão e amizade com que o Prof. José Mota conduziu a Unidade Curricular, assumindo o exemplo do que poderá ser considerado o modelo de um professor online. Sem o seu pronto feedback e perspicaz ajuda, a conclusão deste processo não teria sido possível.

Para concluir, resta-me afirmar que a forma como a Unidade Curricular foi estruturada e conduzida, assumirá com toda a certeza um profundo impacto na realização deste Mestrado. Considero os temas abordados e actividades propostas, factores fundamentais para uma correcta intervenção enquanto futuros profissionais e investigadores do E-Learning.

No comments yet

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: